Papel de Bergoglio na ditadura de seu país gera polêmica nas redes sociais

O anúncio do argentino Jorge Bergoglio como o novo Papa, Francisco, desencadeou nesta quarta-feira (13) uma polêmica nas redes sociais em relação ao papel que teria exercido durante a última ditadura na Argentina (1976/83).

Twitter

“Bergoglio é acusado de ter convivido com a ditadura argentina”, afirma uma mensagem de Twitter assinada pelo usuário animalpolítico.com.

“O novo Papa é amigo de violadores de direitos humanos”, acrescentou o usuário Nicolás Copano.

Fonte: G1

E tem mais. Quem acompanhou o assuto no Twitter nos últimos dias ficou bastante intrigado com as tuitadas, do tipo: “Papa mantinha relações com a ditadura…”, “Papa se envolvia com a ditadura…” ou “Papa tinha relacionamento com a ditadura…”. E outros mais interessantes: “Papa simpatizava com a ditadura…”.
O lado bom é que essas tuitadas escritas soam melhor do que faladas… 

Mensagem navegação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *