Promotor diz que defesa de Bola saiu ‘derrotada’ do segundo dia de júri

O promotor Henry Wagner Vasconcelos de Castro avaliou como negativo o segundo dia de julgamento para o réu Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, acusado do homicídio e da ocultação de cadáver de Eliza Samudio. Segundo ele, a defesa “saiu derrotada mais uma vez do plenário” nesta terça-feira (23), quando foram ouvidos como testemunhas o detento Jaílson Oliveira, o deputado estadual Durval Ângelo e o corregedor-geral da Polícia Civil, Renato Patrício Teixeira. O primeiro foi arrolado pela acusação e os outros dois pelos advogados do ex-policial.

“Hoje nós não tivemos inquirições na sua essência de testemunhas de defesa. A defesa não está sabendo trabalhar com competência. A defesa não está sabendo trabalhar a prova. A defesa está expondo para o júri elementos que ainda mais incriminam o seu constituinte, o seu assistido”, disse Henry Wagner. Ele acrescentou que as testemunhas serviram, primeiramente, à verdade e, indiretamente, à Promotoria, que teve o trabalho beneficiado com os relatos em plenário.

Fonte: G1

Como diria o Zeca Pagodinho sóbrio: um dia é para Bola o outro é para o goleiro!

Mensagem navegação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *